«

»

nov 07

DILMA DIZ QUE GOVERNO VAI CORTAR GASTOS E VERIFICAR CONTAS COM “LUPA”

Segundo O Globo, versão on line, a presidente Dilma Rousseff afirmou nesta quinta-feira (06/11) que o governo pretende “fazer o dever de casa” e cortar gastos. A presidente disse que não pretende mexer na meta de inflação (4,5%) ou no intervalo de tolerância, que hojé é de dois pontos percentuais para mais ou para menos. De acordo com a presidente, as contas serão verificadas com “lupa”.

— Vamos fazer o dever de casa, apertar o controle da inflação e teremos limites fiscais. Vamos reduzir os gastos. Vamos olhar todas as contas com lupa e ver o que pode ser reduzido e o que pode ser cortado. Temos que fazer um ajuste em várias coisas, várias contas podem ser reduzidas. Minha visão de corte de gastos não e similar a aquela maluca de choque de gestão.
Conforme pregou durante a campanha eleitoral, Dilma defendeu a manutenção do número de ministérios.

— Essa história de cortar ministério é lorota.
A presidente reafirmou que o nome do novo ministro da Fazenda não será anunciado antes da reunião de cúpula do G- 20, que ocorre de 15 e 16 de novembro, na Austrália.

lupa-300x184Perguntada sobre a operação Lava-Jato que investiga corrupção na Petrobras, a presidente afirmou que trata-se de uma oportunidade para “acabar com a impunidade”.

— A operação trouxe o momento para acabar com a impunidade no país. Não vou engavetar nada, não vou pressionar opara não investigar, quero todos os responsáveis punidos – afirmou Dilma.
Segundo Dilma, o compromisso do governo é com as instituições e com a democracia.

— Acho fundamental a separação dos poderes, a independência do Executivo, do Legislativo e do Judiciário. As instituições estão funcionado e as nossas eleições são produto disso. Nós avançamos muito, somos exemplo de uma grande democracia. O eleitor não é de ninguém, ninguém é dono do eleitor. Se tem um momento que todos somos iguais é na urna. A visão de que o eleitor é meu, é ultrapassada, é patrimonialista.
Dilma repetiu que é necessário “saber perder e saber ganhar”.

— Saber ganhar na democracia é tão difícil quanto saber perder, porque existe a tendência das pessoas acharem que é o rei da cocada preta. Não sairá da sua cabeça o que fazer pelo país, tem que ter uma interação. Não estou propondo nenhum diálogo metafísico, sobre quem sou, o que quero, para onde vai — afirmou.

Por: Sérgio Fadul e Luisa O Globo, que participaram da entrevista com a presidente Dilma no Palácio o Planalto

Fonte: Carta Polis

Página inicial