JUSTIÇA E POLÍTICA CAMINHAM JUNTAS NA ELEIÇÃO DE BRASILIA; MAIS UM FATO DANOSO À CANDIDATURA ARRUDA

Arruda-30-07Mais um acontecimento na área da Justiça entremeia o quadro eleitoral no Distrito Federal, aportando novas dificuldades para a candidatura de José Roberto Arruda a governador. O juiz da 7a. Vara Criminal de Brasília, Atalá Correia, determinou o arquivamento do pedido de suspeição contra promotores do Grupo de Atuação de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) envolvidos na operação caixa de pandora, que investigou o chamado mensalão do DEM.
Em maio, o juiz já havia negado o pedido de suspeição. Os réus no processo, entre eles o ex-governador do DF José Roberto Arruda, recorreram, alegando omissão de Correia, que não teria solicitado à Procuradoria os nomes dos promotores.
“Não está o juiz obrigado a julgar a questão posta a seu exame nos termos pleiteados pelas partes, mas sim com o seu convencimento racional, utilizando-se dos fatos, provas, jurisprudência, aspectos pertinentes ao tema e da legislação que entender aplicável ao caso”, escreveu Correia.
“Vê-se, ademais, que os embargantes valem-se dos embargos de declaração como meio para repisar seus argumentos e tentar obter o rejulgamento de sua pretensão. Ocorre que a estreita via aberta por este recurso não se presta a essa finalidade”, acrescentou, segundo informações da assessoria de imprensa do TJ-DF.
O processo leva o número 2014.01.1.053571-5
Fonte: Carta Polis

Página inicial

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *