Lições inesperadas sobre a arte de fracassar

O temido fracasso não é tão ruim. Na verdade, podemos até aprender com ele

Lições inesperadas sobre a arte de fracassar
Todos nós odiamos o fracasso. Mas nos negócios e na vida, uma hora ou outra acabamos esbarrando nele.

Quer se trate de lançar um negócio ou tentar alguma coisa nova, ou simplesmente mudar de emprego, nesse momento estamos nos arriscando.
Pedimos para uma snowboarder olímpico, um dublê de Hollywood e um psicólogo para darem as suas melhores dicas sobre o fracasso. Aqui está o que eles compartilharam.

#1. Não deixe que a derrota defina você

Depois de ganhar uma medalha de ouro nas Olimpíadas de 2002, Kelly Clark ficou em quarto lugar nos Jogos Olímpicos de Tirum, na Itália, em 2006, quando ela caiu durante o half-pipe.

Não superestime o seu desempenho. Em vez de fazer isso, a maior vitória de Clark veio 4 anos mais tarde, nos Jogos Olímpicos de 2010, em que ela repetiu o salto de 2006 e ganhou a medalha de bronze.

Kelly valoriza a sua medalha de bronze mais do que a de ouro, por conta de tudo que ela conseguiu superar.

Você não pode ter medo de tentar novamente. É muito importante perceber que você caiu, mas que está bem e pode continuar, afirma Kelly.

#2. Defina metas atingíveis

Depois de sofrer com o revés ou derrota, você precisa ser capaz de sonhar novamente, e você pode fazer isso definindo metas atingíveis.

As pessoas se sentem derrotadas e desistem. Elas desistem por conta das expectativas que não foram atendidas.

Os objetivos maiores podem parecer inatingíveis, mas criando metas e objetivos menores podemos construir confiança em como conseguir atingir essas metas. Não devamos ser definidos pelos nossos objetivos, ressalta Kelly.

Defina metas que você pode alcançar.

Defina metas que você pode alcançar.

#3. Mude a sua perspectiva

Em vez de temer o fracasso, mude a sua perspectiva e vê-lo como uma oportunidade de ser melhor. É o que acredita Steve Wolf, fundador do Wolf Stuntworks Inc., uma empresa de dublês e efeitos especiais, em Austin.

Wolf, cujo trabalho vem aparecendo em Castaway e no seriado Law and Order, observa que aprendem muito pouco quando as coisas acontecem da menria que estavam esperando.

Quando algo dá errado, vamos nos concentrar na correção do problema, em vez de passar a culpa adiante. O fracasso é seguido pela pergunta “qual o sistema, procedimento, treinamento ou equipamento teria impedido o problema?”, e assim ajustamos o problema, afirma Wolf.

#4. Encontre o revestimento de prata

A falha nos dá a oportunidade de praticar a gratidão e encontrar o nosso forro de prata através da experiência.

É isso que acredita a Dra. Patricia Thompson, uma psicóloga e consultora de gestão com consultório em Atlanta.

Será que o fracasso nos ensinou algo sobre nós mesmos? Ele fornece uma oportunidade para nos tornarmos mais resilientes? Mesmo com a falha, existem outras áreas positivas em sua vida? Praticar a gratidão vai ajudar a não ficarmos deprimidos com o fracasso, defende Thompson.

#5. Reconheça as boas companhias

Muitas pessoas bem-sucedidas falharam publicamente. Winston Churchill foi reprovado no sexto ano e, o primeiro livro do Dr. Seuss foi rejeitado 27 vezes pelos editores.

Mesmo a lenda do basquete, Michael Jordan deixou claro os seus fracassos em um comercial da Nike, há alguns anos atrás dizendo que perdeu mais 9 mil tiros em sua carreira, quase 300 jogos e, que durante 26 vezes a chance de decidir o jogo esteve em suas mãos e ele falho.

Entenda que você está em boa companhia e permita-se reconhecer o fracasso como parte da condição humana, finaliza Thompson.

Este artigo foi adaptado do original, “Unexpected Lessons in the Art of Failing Gracefully”, da FastCompany.

Por 

Fonte: Jornal do Empreendedor

Página inicial

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *