Projeto Viva a Arte apresenta o show BALÉ DE FLORES, com o cantor e compositor MARINHO LIMA. Sexta-feira, 26/09, às 13h.

IMG_8852

Na próxima sexta-feira, dia 26 de setembro, o cantor e compositor Marinho Lima é atração no Projeto Viva a Arte, com o show “Balé das Flores”. Ele se apresenta às 13h, no Auditório da Eletrobras-Eletronorte, com entrada franca e classificação indicativa livre. Ele será acompanhado por Claudio Truzzi (vocal/baixo), José Cabrera (teclados), Cacau Alencar (violão de 12 cordas e guitarra) e Ytto Morais (percuteria).

 

 

 

Músico e filósofo, piauiense de Morros da Mariana, Marinho Lima chegou a Brasília em 1970. Filho de músico, aos 7 anos começou a tocar gaita na escola. Ao chegar a Brasília, logo se inseriu no meio musical da capital, participando e vencendo festivais estudantis, como, Fico, La Salle, FEDF e Sesc/GO, entre outros. Foi quando a música tomou conta da sua vida.

 

 

 

IMG_8831Em 1985, já atuante no mercado musical brasiliense, começou a aperfeiçoar-se em violão popular e, em 1987, fez o curso de Laboratório Vocal na Escola da Música de Brasília (EMB). Profissionalizou-se em 1988 e não mais largou a música. Gravou o primeiro CD, “Olhos de Lelís”, em 2000, lançando-o em diversas cidades nos Estados de Tocantins, Minas Gerais, Goiás, São Paulo e Rio de Janeiro, além de Brasília. Abriu shows de vários artistas renomados, tais como Guilherme Arantes, Chico Cesar, Noca da Portela e Belchior.

 

 

 

Em 2011, lançou seu segundo CD, “Balé das Flores”, trabalho autoral. Produzido, arranjado e dirigido por Ocelo Mendonça, o CD tem variações rítmicas e foi exclusivamente feito com foco no público amante da boa Música Popular Brasileira. Em 2012, veio o DVD “Seu Francisco”, com 17 obras autorais, entre músicas dos dois CDs e de parceiros – ambos os trabalhos estão sendo levados a diversos públicos neste ano.

 

 

 

Contatos:

 

marinholima25@gmail.com

 

Facebook: www.facebook.com/marinho.lima.75

 

 

 

SERVIÇO

 

Show: BALÉ DAS FLORES

 

Artista: Marinho Lima

 

Data: 26 de setembro

 

Horário: 13 horas

 

Local: Auditório da Eletrobras-Eletronorte

 

SCN Quadra 6, Conjunto A, Bloco B, 1º subsolo (atrás do Brasília Shopping)

 

Informações: 3226-7036 e 8212-3450

 

ENTRADA FRANCA

 

Classificação indicativa: 14 anos

 

Realização:

 

ONG Vida Brasil, em parceria com o Sindicato dos Urbanitários do DF

 

https://www.youtube.com/watch?v=Bz7SoLQEFsE

 

https://www.youtube.com/watch?v=iixgMOVVXSw

 

https://www.youtube.com/watch?v=Kg82aNOeHEU

 

 

 

“O Viva a Arte, que, neste ano tem como tema o centenário do nascimento de Vinicius de Moraes, e um projeto cultural alternativo, que tem como foco principal valorizar a produção artística desenvolvida no Distrito Federal em música e teatro, dando condições básicas (palco, iluminação, sonorização) para os artistas se apresentarem com qualidade. Originalmente com o título de Sextas Musicais, no palco do auditório da Eletronorte, artistas funcionários da casa, como Leander Motta, Boréu, Régis Torres, Carlúcio e outros, apresentavam-se no intervalo do almoço, cada um com seus instrumentos, sem cachê, alegrando uma plateia cada vez maior.

O projeto foi idealizado por Humberto Macedo, na época Diretor de Promoções da Associação dos Empregados da Eletronorte (ASSEL). Devido à dimensão que foi tomando, sendo tudo muito artesanal e não tendo estrutura para manter-se, fazia-se necessário a participação de outros artistas. O projeto teve um intervalo em torno de dois a três anos, retornando depois que Rivaldo Alcântara (Boréu) foi eleito diretor do Sindicato dos Urbanitários do Distrito Federal (STIU/DF).

Sendo o STIU/DF uma instituição que, além de reinvindicar melhores condições de salários e trabalho, luta por melhores condições de vida, o Viva a Arte foi, então, durante algum tempo, custeado com recursos do próprio STIU/DF.
Dada a dimensão e o custo relativamente alto que foi tomando, elaborou-se uma proposta com a intenção de captar recursos junto da própria Eletronorte, que, simpatizando com a ideia, aceitou patrociná-lo. A partir dessa nova estrutura, para divulgar também a própria empresa, foi sugestão do STIU/DF a criação do Centro Cultural da Eletronorte, dentro na nova sede da empresa (na 904 Sul), em construção.

Para alcançar maior visibilidade, surgiram propostas de apresentações com artistas de projeção nacional, como Paulinho Pedra Azul, Xangai, Simone Guimarães, Paulinho Tapajós, Marcello Lessa, Renato Motha, Tavito, Celso Blues Boy, Tunai, entre outros. Outras instituições também se mostraram interessadas e aliaram-se numa parceria que tem dado muito certo – SESC/DF, Açougue Cultural T-bone e Jardim Botânico de Brasília.

Atualmente, o Projeto Viva a Arte é administrado pela ONG Vida Brasil, com sede no Setor Comercial Sul. Sob a coordenação de Boréu (Rivaldo Alcântara). Na produção executiva estão Salomão di Pádua e Marcondes Silva. E a sonorização e iluminação ficam por conta da Novintec.”

Página inicial

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *